combustível adulterado

Saiba quais os riscos do combustível adulterado

Classifique este post
[Total: 1 Average: 5]

Seu carro está com pouca potência e engasgando? A causa desse problema pode ser o combustível adulterado. Você sabe como identificar o problema?

setor automotivo

No artigo de hoje, mostraremos os riscos de abastecer com combustível adulterado e o que fazer para escapar desse golpe. Ficou interessado no assunto? Leia com atenção nosso post!

O que é o combustível adulterado?

O combustível adulterado nada mais é do que o combustível vendido fora do padrão da Agência Nacional do Petróleo (ANP) e do Conselho Nacional do Petróleo (CNP). Esse combustível é caracterizado pela adição irregular de qualquer substância em sua composição.

Em muitos casos, o combustível adulterado é vendido com o único fim de oferecer lucro para os proprietários dos postos de combustíveis.

De acordo  com o Conselho Nacional do Petróleo, no caso da gasolina, por exemplo, a concentração de álcool deve estar entre 18% e 24%.

A gasolina padrão deve ter densidade 0,72 g/cm³ e 0,75 g/cm³. Já na gasolina adulterada, essa densidade é menor, devido ao uso indevido de compostos orgânicos menos densos.

Como é feito o combustível adulterado?

Etanol

combustível etanol

É comum vender no lugar do etanol hidratado – combustível correto – uma mistura de etanol anidro (líquido misturado à gasolina e que tem uma cor laranja) com etanol hidratado.

Pode ainda acontecer coisa pior: alguns postos de má índole podem colocar água no etanol anidro. Essa mistura recebe o nome de etanol molhado.

Gasolina

combustível gasolina

É muito comum a gasolina adulterada apresentar excesso de etanol anidro, com uma porcentagem acima de 27%, o que não é permitido por lei. Na gasolina premium, essa porcentagem deve ser de 25%. Caso seja maior ou menor, ela estará adulterada.

Além disso, para adulterar a gasolina são adicionados solventes, que com o tempo vão prejudicar o funcionamento do seu veículo.

Óleo diesel

combustível diesel

Para saber se o óleo diesel foi adulterado, observe seu aspecto. Se o óleo não estiver límpido e isento de impurezas, ele está com problemas. 

Outro fator que deve ser analisado é a quantidade de enxofre. Em combustíveis dentro dos padrões, o S-500 deve ter 500 partes de enxofre por milhão, enquanto o S-10 precisa de 10 partes por milhão.

Combustíveis em geral

A bomba de combustível também deve ser observada para que você possa identificar o combustível adulterado. É comum a modificação na bomba, o que chamamos de bomba baixa. Isso é feito para que a quantidade de combustível abastecida no tanque do carro seja menor do que a registrada na bomba. Você paga mais por menos combustível.

Quais os danos causados pelo combustível adulterado?

carro quebrado combustível adulterado

1. Falha ao dar a partida

Embora essa seja uma falha que não necessariamente tem a ver com o problema do combustível adulterado, é importante ficar atento a esse sinal quando for dar a partida no automóvel.

Se você trocou de posto, pode ser que o combustível tenha sido adulterado, e o melhor que você tem a fazer é levar o veículo a um mecânico de sua confiança.

2. Consumo elevado

Todos nós sabemos que o consumo varia muito de acordo com o uso do automóvel, principalmente de como ele é conduzido.

Porém, caso você tenha mudado de local de abastecimento e tem reparado que o consumo do veículo aumentou, isso pode ser um forte indício de combustível adulterado. 

3. Perda da potência

Um dos maiores problemas do combustível adulterado é a perda da potência do carro. O motor sente, e muito, os efeitos. Por isso, caso note uma repentina perda de potência, engasgos no motor, falhas no escapamento e barulhos, desconfie de combustível de má qualidade.

Como evitar o combustível adulterado?

1. Pesquise preços

Pesquise os preços antes de abastecer seu automóvel e desconfie de valores muito abaixo na média do seu bairro. Você pode consultar a pesquisa semanal de preços na Agência Nacional do Petróleo.

2. Fique de olho na bomba

Confira se o valor na bomba é o mesmo do exibido nos painéis do posto. Não se esqueça que a ANP exige que o posto coloque os preços dos combustíveis bem visíveis em painel logo na entrada, durante os períodos do dia e da noite.

3. Verifique a origem do combustível

Mesmo que os postos contem com distribuidora exclusiva, em cada bomba deve ter o nome da distribuidora que forneceu o combustível. Se você não conseguir identificá-la, desconfie do posto!

4. Confira se o combustível é comum ou aditivado

O posto deve informar de maneira clara na bomba se o combustível fornecido ali é comum ou aditivado. Se você não encontrar essa informação, fique atento ao local onde abastece seu automóvel.

5. Procure o selo do Inmetro

Postos confiáveis devem ter bombas de combustível com selo do Inmetro. Esse selo certifica que o volume marcado no equipamento é o mesmo abastecido no tanque do veículo. Caso você não identifique esse selo, abasteça em outro posto.

6.  Peça um teste

Se você desconfiar da quantidade de combustível que pagou e a que foi posta no tanque, você terá o direito de pedir aos funcionários do posto que testem a bomba na sua frente.

É importante saber que o posto não pode se negar a fazer o teste. Para isso, deve ser usada a medida padrão de 20 litros aferida e lacrada pelo Inmetro. A diferença máxima permitida é de 100 ml para mais ou para menos. Se for maior, você deverá entrar em contato com a ANP.

Agora que você já sabe os riscos do combustível adulterado, quais os danos que ele causa em seu automóvel e o que fazer para se proteger, fique atento em seu próximo abastecimento!

Quer ler mais conteúdos como esse? Então aprenda sobre as luzes do painel do carro e não seja pego de surpresa!

2 comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *